Rua João Moura, 288 - Pinheiros - São Paulo, Brasil

(11) 3062-0916 [email protected]

O mosteiro de Shaolin e suas influências

Erguido em 495 d.c. no meio de uma floresta no sopé da montanha Song, o mosteiro de Shao Lin está geograficamente localizado entre as cidades de Zhengzhou e Luoyang (antiga capital do Império Chinês até o século 10), na província de Henan.

A mando do Emperador Xiao Wen (reinado de 471 a 500 d.c.) da dinastia Wei, forte patrocinador do budismo na China, o mosteiro de Shao Lin fora construído para se tornar o maior centro de estudo, tradução e difusão do Budismo da época, e o primeiro abade do mosteiro foi o monge indiano Bahdra (Batuo).

Em 525 d.c. o monge Damo (Bodhidharma) chegou até o mosteiro e lá ficou por vários anos. Muitos afirmam que Damo foi o responsável pela criação e desenvolvimento das artes marciais dentro do mosteiro de Shao Lin, mas infelizmente não existe nenhuma evidência concreta até mesmo que Damo tenha existido.

Damo foi o vigésimo oitavo patriarca do budismo Mahayana e trouxe para o mosteiro os seus ensinamento, mais tarde tornando-se o primeiro patriarca do budismo Chan (Zen). Junto com os seus ensinamentos Damo deixou alguns exercícios para melhorar a saúde dos monges, como o Yi Jin Jing (Tratado da Renovação dos Tecidos e Tendões) e o Xi Sui Jing (Tratado da Medula).

Então quem seria o responsável pela criação ou desenvolvimento das artes marciais de Shao Lin ? Sabemos que muitos militares e nobres perseguidos refugiavam-se em locais distantes, e o mosteiro de Shao Lin foi um deles. Com as constantes visitas de estrangeiros, sejam foragidos, convidados e alguns até mesmo em busca da iluminação oferecida pelo budismo, os monges de Shao Lin puderam aprender, estudar, compilar e aprimorar quaisquer estilos de arte marcial com que tivessem contato. A partir deste momento começou a ser formada a arte marcial do mosteiro de Shao Lin.

Dividido em salas, ou câmaras, os estilos não eram ensinados a todos os monges, mas sim a pequenos grupos e para cada sala havia um monge responsável. O mosteiro de Shao Lin contou com 18 salas principais, e cada uma com um estilo distinto. Uma destas salas era reservada ao estilo “As dez rotinas de Shaolin”, a base do Shaolin Norte.

O ensino das artes marciais de Shao Lin era reservado única e exclusivamente para os monges, mas em 1650 os monges resolveram aceitar discípulos-leigos só para o aprendizado marcial, porque o mosteiro havia sofrido já havia sofrido um ataque, colocando em risco os monges e suas técnicas marciais.

Destruído quase que totalmente em 1736 e em um novo ataque em 1928 onde restaram duas edificações e parte do cemitério, o mosteiro de Shao Lin foi mais uma vítima da sua participação em guerras internas da China, deixando apenas um punhado de monges sobreviventes. Alguns dos estilos que foram ensinados para leigos ou levados para fora de Shaolin por monges fugidos existem até hoje.

Houveram outros mosteiros que estiveram relacionados de alguma forma com as artes marciais, mas a despeito do que muitos afirmam, o mosteiro de Shao Lin nunca possuiu filiais ou relações diretas com outros mosteiros, mesmo com o de Fujian.